Laura Bacellar

Meu nome é Laura Bacellar e trabalho no mercado editorial desde 1983. Sou formada em editoração pela ECA/USP e amo livros. Para saber mais, vá na aba "Quem Somos" do menu principal.

34 comentários até agora

  1. Wlange Keindé
    27 de janeiro de 2016 @ 09:49

    Muito bom!

    Reply

  2. Fátima Rosalina Castelo Branco
    27 de janeiro de 2016 @ 09:55

    Olá, foi muito proveitoso o seu texto, pois já passei por algumas etapas de tudo que você citou e agora estou embarcando na grande viagem da profissionalização. Apesar de ainda não ter uma editora que me banque, estou levando muito a sério meu investimento na carreira. Em breve estarei me lançando na Europa (por conta própria) e acho que todo esse meu movimento vai ajudar a alavancar a obra aqui no Brasil.
    Obrigada por suas dicas, continuo com você, sempre!

    Reply

    • Laura Bacellar
      15 de abril de 2016 @ 12:13

      boa sorte, Fátima! Depois nos conte o que aconteceu, toda aventura de escritor/a é interessante para os que pensam em fazer algo parecido.

      Reply

  3. Luana Alves
    27 de janeiro de 2016 @ 09:56

    Gostei muito do texto. Estava prestes a ceder meus direitos autorais a uma prestadora de serviços que se dizia ser uma editora. Abriu meus olhos…

    Reply

  4. Gleyzer Wendrew
    27 de janeiro de 2016 @ 10:00

    Ótimo texto!! sou um jovem escritor e me encontro no meio termo entre as duas possibilidades! Assinei contrato com uma prestadora de serviços, porém, ela tem parceria com as grandes livrarias do país (saraiva, cultura, leitura) além da amazon, portanto, mesmo sendo um autor em meu debut meu livro irá para as grandes livrarias, mesmo que somente pelo site! O futuro me é incerto, mas desejo profundamente ser um dos maiores escritores do Brasil… sei que não será fácil, mas nesta vida, alguma coisa é?!

    Reply

    • Maria
      6 de julho de 2016 @ 14:30

      Essas prestadoras de serviço dizem que tem parceria com grandes livrarias, mas não distribuem o livro direito, não divulgam o livro direito e colocar o livro em sites de livrarias não quer dizer nada.

      Reply

  5. Augustinho soares
    27 de janeiro de 2016 @ 12:13

    Laura, pois bem, é muito ótima sua ajuda sim, Eu queria publicar meus conhecimentos BÍBLICOS, Pois sou estudante da Bíblia sagrada a mais de 50 anos, e descobri coisas incríveis sobre a Bíblia sagrada e o tempo do fim do mundo, (o fim de todas as coisas) porque tudo tem um fim e diante dos últimos acontecimentos temos visto tudo cumprindo conforme está escrito,
    Eu confesso… Não sou formado em nenhuma universidade, não apenas meus próprios esforços, sou de família pobre, trabalhador direito, nunca tive envolvimento com nada de errado, nunca participei de nada de errado contra as leis de nosso país, mas tenho algumas revoltas contra a política de nosso país,

    Reply

  6. Antonio
    27 de janeiro de 2016 @ 12:47

    Muito bacana seu artigo. Já lancei meu livro impresso e e-book. Tudo como autor independente. Estou na etapa da divulgação.

    Escreva mais sobre a ciência da divulgação e venda de livro.

    Agradeço e visite minha obra: Poesia & Afeto.
    Facebook: Antônio Galvão e na Amazon.com.br

    Reply

    • Sidney Guerra
      27 de janeiro de 2016 @ 13:28

      olá Antonio.
      Tem vários textos meus a respeito da divulgação e também vídeos e palestras online, já viu? 🙂

      Reply

  7. Cássia Oliveira
    27 de janeiro de 2016 @ 13:15

    Adorei seu texto e dicas.
    Faço parte do Recanto das Letras e começamos recentemente a publicar os livros de autores que tem interesse em ver seus textos que já fazem sucesso no Site, que existe há mais de dez anos e tem respeito entre os usuários, publicados em livro físico.

    Recebo e-mail de autores perguntando qual é nossa estratégia de divulgação, se participamos de bienais e se fazemos distribuição nas grandes livrarias… Somos muito claros em explicar que prestamos serviço, ainda não temos condições de bancar um autor e fazer o lançamento por nosso conta – mas esperamos fazer isso em futuro não muito distante.

    Sabemos das dificuldades para colocar livros em livrarias. Explicamos direitinho o que podemos fazer dentro do site e das redes sociais, mas depende especialmente dos autores fazer essa distribuição e promoção de seu livro. Por essa razão, damos gratuitamente o e-book do livro e um ano de assinatura grátis do Site do Escritor, onde os livros podem ser divulgados e vendidos, tudo por conta do autor. O Recanto das Letras não tem nenhuma participação nos lucros do autor, a venda é feita diretamente por ele.

    O Recanto tem uma visibilidade muito grande, isso ajuda na divulgação dos livros, através da Vitrine do site e redes sociais.

    Garantimos um livro de grande qualidade, com acabamento correto, de qualidade. Fazemos revisão dos textos, alguns autores acham que não precisam de revisão, que é um custo desnecessário, mas temos que preservar o Recanto, não podemos publicar um livro cheio de erros e vícios de linguagem. Respeitamos o estilo do autor e regionalismos, mas precisamos cuidar do resultado final.

    Muitos autores tem prazer em fazer seus livros e distribuir apenas entre amigos, dar de presente… tudo isso é válido, é prazeroso. Mas temos autores que buscam uma carreira como escritores e começam sua caminhada com pequenas tiragens.

    Muito obrigada por suas colocações verdadeiras e que podem orientar autores e mesmo prestadores de serviço.

    Reply

    • Antonio
      27 de janeiro de 2016 @ 16:12

      Cara Cassia,

      Agradeço as informações que envio. São boas e colabora bem para quem tem paixão por escrever.

      Agradeço. Valeu!

      Reply

      • Cássia Oliveira
        29 de janeiro de 2016 @ 23:55

        Temos que fazer um trabalho muito grande de divulgação. Coloque seus textos no Site do Recanto, tem assinatura grátis.

        Cássia

        Reply

  8. Tião Carneiro
    29 de janeiro de 2016 @ 18:27

    Boa tarde, Laura,
    Dou-lhe dez pelo realismo de suas ponderações. Contudo, permita-me estender o debate para outro lado da questão: o do leitor. As estratégias de publicações – seja a do profissionalismo, seja a do diletantismo – no meu ponto de vista, Laura, tendem ao fracasso em razão do leitor. Ou melhor, da escassez de leitores.
    Pessimismo ao extremo? Talvez. Dê-me o desconto, pois.
    Entenda como vejo o binômio autor/leitor. Temos dois leitores. O primeiro é o leitor do livro da ocasião (Fantasiosos, cinzentos, vampirescos). Mesmo sendo uma dessas a especialidade do autor, não dá pra contar com esse leitor, justamente pela obviedade de ser “do momento”.
    O segundo leitor está morrendo, nobríssima Laura. O leitor que aprecia metáforas, imagens e entrelinhas atinge os “entas”, pressente a hora dele chegando, olha pro banco de reservas e vê o semblante desolado do técnico. Não há quem o substitua, nobríssima, porquanto a educação brasileira não ter formado tal “jogador”.
    Pessimismo ao extremo? Talvez. Dê-me o desconto, pois.
    Como mudar isso? Pela óbvia educação. Pelo exemplo, atrevo-me a sugerir. O gosto pela leitura não entra de goela abaixo. É hábito interno. Tira fino no inconsciente e é concebido, via de regra, pelo exemplo. A gurizada de hoje, os futuros pais, precisa dar o exemplo aos filhos. Dê-me um desconto e veja se os leitores de hoje não pegaram carona na leitura dos pais.
    Sei muito bem que as suas orientações supuseram a existência de leitores. Por isso dê-lhe o dez. Mas costumo matutar acerca dessa carência, nobre Laura. O melhor livro do mundo ficará na frieza do computador ou na poeira da livraria se não houver um “enter” ou uma espanada de alguém que saiba ler. E esse alguém está a cada dia mais difícil de encontrar, penso.
    Peço-lhe licença (e aos seus leitores) para ilustrar essa carência. Escrevi dois romances, criei um blogue para divulgá-los, hospedei-os no Clube de Autores, mas os bichos não saem do canto.
    “Então é isso! O Tião quer mostrar-se escritor, dizer que tem um blogue e se lamuriar. Quem manda seus livros não prestarem, cara”, pode alguém estar pensando assim. Não é isso, não, gente. Os livros ficaram bacanas, sinceramente. Se não são lá essas coisas, mas também não são lá aquelas coisas, entenderam? Ocorre que os danados foram incapazes de romper a barreira entre o leitor meu amigo e o leitor anônimo. Por quê? Porque, como disse, esse anônimo está muito difícil de ser localizado. A propósito, e que vem ao encontro do que pondero, vá a um lançamento. Você verá sempre as mesmas caras, cara. Cara de também autores, é lógico. O que não é de todo ruim, já que os caras sentir-se-ão na obrigação de comparecerem ao seu lançamento.
    Ah, nobre Laura e nobres comentaristas desculpem-me pelo texto alongado. Podem discordar de mim. Afinal, seria uma prova de que me leram. Mas vocês não valem, pois entram na hipótese do segundo leitor. Não estou chamado você de velho, não, pelo amor de Deus.
    Abraços,
    Tião Carneiro
    Obs. A fim de reconhecer que não estão de todo errados, darei o meu blogue: http://www.pocilgadeouro.com

    Reply

  9. Tião Carneiro
    30 de janeiro de 2016 @ 00:08

    Oi, Cássia,

    Tenho vários textos no Recanto, Cássia. O último foi postado no dia 28 deste mês.

    Um abraço e bom domingo,
    Tião

    Reply

    • Cássia Oliveira
      30 de janeiro de 2016 @ 00:32

      É mesmo? Vou dar uma olhada.

      Cássia

      Reply

      • Tião Carneiro
        30 de janeiro de 2016 @ 00:41

        São textos brincalhões, Cássia. Entre com Tião Carneiro e verá que o último, na categoria crônica, está com 3000 leituras. Tirando os zeros, obviamente.

        Renovo os abraços e bom domingo,
        Tião

        Reply

        • Carol
          1 de março de 2017 @ 00:30

          Olá,
          Adorei as dicas, sempre gostei de escrever, agora decidi escrever um pequeno livro, sem grandes projetos por enquanto.
          Obrigada,
          Carol

          Reply

  10. Maria Cristina
    31 de janeiro de 2016 @ 17:17

    Oi, sua orientação é muito clara e ampla, adorei, obrigada. Eu tenho uma dúvida sobre o wattpad, será que o wattpad é uma plataforma que abrange mais leitores adolescentes ou tem um público mais adulto também?

    Reply

  11. Laura Bacellar
    2 de fevereiro de 2016 @ 18:06

    O Wattpad até tem leitores adultos, mas não são maioria. Por isso não é o canal ideal para textos mais sérios ou de conteúdo mais elaborado. Tampouco é bom para não-ficção profissional. É interessante principalmente para textos leves, eróticos ou fantasiosos, veja lá o que faz sucesso e confirme.
    um abraço

    Reply

  12. Alison
    15 de fevereiro de 2016 @ 23:44

    adorei as dicas, muito obrigado por compartilhar, vou começar agora!

    Reply

  13. Michael
    9 de março de 2016 @ 14:51

    Sou um moço introvertido e simples, tenho dificuldades para divulgar meus trabalhos. O quê faço?

    Reply

    • Cássia Oliveira
      14 de abril de 2016 @ 16:18

      Prezado Michael,

      A melhor maneira de divulgar seu trabalho quando os recursos financeiros são pequenos, é o uso da internet, das mídias sociais.
      Faça uma página no Face, coloque seus textos, divulgue livros se tiver.
      Você pode colocar e-book na Amazon, pode participar de sites específicos para escritores.
      No Recanto das Letras (www.recantodasletras.com.br), você pode publicar seus textos, utilizar o Mural e participar de uma comunidade muito grande de autores e leitores. É grátis!!
      Um abraço,
      Cássia

      Reply

  14. Samara
    10 de março de 2016 @ 20:06

    Como faço para entrar em contato com alguém de vcs da editora

    Reply

    • Sidney Guerra
      14 de abril de 2016 @ 13:00

      Olá Samara, não somos uma editora, mas você pode mandar um email para nós pela aba de serviços.

      Reply

  15. sergio
    26 de março de 2017 @ 16:11

    Conclui meu livro de aproximadamente 70 páginas, alguém conhece alguma editora que possa me auxiliar? Grato.

    Reply

  16. Gesner Simões de Lemos
    22 de maio de 2017 @ 09:54

    Achei o texto bastante esclarecedor e com boas orientações.
    Sou professor em Manaus AM – Estou me aposentando, gosto de escrever poesias, não me julgo escritor; faço escritos por prazer. Penso algo, só não sei em que momento.

    Reply

  17. Fernando
    23 de maio de 2017 @ 15:41

    Oi, Laura!

    Agradeço pelas dicas sobre publicação.
    Estou escrevendo um livro (por enquanto ainda é um livreto, rs).
    O artigo ajudou bastante!

    Abraço.

    Reply

    • Laura Bacellar
      24 de maio de 2017 @ 14:04

      boa sorte, que o livreto vire livro!

      Reply

  18. Sonia Maria Marques Capano
    27 de maio de 2017 @ 17:55

    Ola Laura,

    Adorei suas dicas e apesar de terem esclarecido algumas de muitas dúvidas que tenho também me provocaram um forte aperto no peito e uma sensação de insegurança.Recentemente me descobri como escritora de livro infantil e encontrei através desta inspiração um forma de contribuir com as causas sociais.
    Escrevi uma história baseada em acontecimentos reais; o livro conta a historia de uma ninhada de cinco gatinhos que foram resgatados e dentre eles um que não tinha parte da perna. Minha intenção e encontrar uma editora que abrace a causa em ajudar abrigos que resgatem animais em situação de abandono e maus tratos, pois quero que a renda seja revertida e direcionada para este propósito. Você pode me ajudar?

    Desde já agradeço a atenção.

    Um abraço,

    Sonia Maria

    Reply

    • Laura Bacellar
      28 de maio de 2017 @ 21:11

      olhe Sonia, para uma editora tanto faz o que vc irá fazer com os direitos autorais, o que eles querem é uma história que interesse ao público. Se vc tem isso, ótimo. Envie para editoras de obras semelhantes para que analisem.
      Tem uma ong que tem muitos aliados, a adote um gatinho http://adoteumgatinho.com.br/ . Vc poderia talvez perguntar a elas se conhecem algum editor com simpatia pela ideia de adoção. Minha impressão é de que o tema seja bom, bem considerado por conta da forma como as pessoas tem visto adoção de animais, mas realmente depende de vc ter feito uma boa história.
      Mande para as editoras para análise.
      Super boa sorte

      Reply

  19. Irapuan Strausz
    11 de julho de 2017 @ 00:26

    Olá Laura, estou grato pelos ensinamentos aqui expostos. Estou terminando meu primeiro livro infantil, “As aventuras de Larissinha”. Ele está na fase de ilustrações e diagramação, mas tem um detalhe muito interessante: para cada capítulo, eu compus uma música. Acho a música um grande convite para o leitor se entreter ao livro. Ela fica na cabeça e convida a todo momento para uma nova aproximação. Enriquece a obra e é capaz de ampliar a sua divulgação em grande escala. Quando estiver pronta, espero que alguma Editora de peso a adote e que ela possa brilhar e alcançar um grande número de leitores. Acho que o grande segredo está na divulgação e no marketing. Obrigado mais uma vez por compartilhar sua experiência para que possamos trilhar o caminho certo. Irapuan Strausz

    Reply

    • Laura Bacellar
      11 de julho de 2017 @ 13:16

      Se vc não conseguir publicar por uma editora, pense em colocar numa plataforma digital que permita ouvir também. Creio que há uma de publicações do google que tem esse perfil. Pesquise, pode ser que este diferencial atraia leitores/ouvintes.

      Reply

  20. Deise Gouveia
    25 de julho de 2017 @ 23:36

    Olá Laura.
    Tenho uma filha adolescente e aspirante a escritora. Ela começou a escrever seu primeiro livro em 2015 aos 12 anos. Terminou ano passado aos 13 e Hoje com apenas 14 anos de idade ela tem 4 obras publicadas no wattpadd, a primeira obra já possui quase 9000 visualizações. Como ela era muito jovem e estava no 7°ano quando começou a obra possui erros gramaticais alem de outros erros que ela está agora revisando com o auxílio da professora de língua portuguesa. O livro se intitula: “um príncipe e uma rebelde”, o gênero da obra é romance/distopia/ficção. Ao contrário do que possa parecer, devido à pouca idade da autora, ela é uma menina extremamente inteligente, muito á
    Frente das adolescentes da idade dela e tem ideias surpreendentes. O sonho dela é publicar o livro. Eu queria muito fazê -lo mas não tenho condições financeiras pra tal. Na sua opinião profissional, pela quantidade de visualizações no wattpadd, a obra dela tem chances de mercado? Poderia indicar um caminho de como eu poderia ajudar para que esse sonho aconteça e por onde eu devo começar?
    Desde já agradeço.
    Grande abraço.
    Deise Gouveia

    Minha filha se chama Victoria Gouveia de Oliveira mas no livro ela usa “Tori Oliveira”. Tem 14 anos e está no 9°ano do ensino fundamental num colégio anglo de SP.

    Reply

    • Laura Bacellar
      26 de julho de 2017 @ 12:34

      olá Deise,
      9 mil visualizações é bom, ainda que não estrondoso. Há comentários? A sua filha já tem fãs?
      vc tem dois jeitos pela frente, mais imediatos: um, continuar a postar no wattpad e fazer de tudo para ter muitos milhares de leitores. Criar uma página no face ou no instagram e postar muita coisa a ver com o livro, assuntos correlatos que levem as pessoas a querer ler a obra e a interagir com sua filha (mas cuidado com gente querendo vender serviços editoriais…)
      dois, vc pode arriscar enviar para editoras. Se a obra tiver apelo para o público adolescente há chance de alguma editora se arriscar a publicar.
      Eu tenho muita informação sobre como encontrar uma editora https://escrevaseulivro.com.br/encontre-uma-editora/
      e um curso exatamente sobre isso https://escrevaseulivro.com.br/venda-como-encontrar-uma-editora/
      Dou também consultoria se vc achar que precisa.
      super boa sorte!

      Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo não disponível para cópia.